Boarding School – um intercâmbio diferente.

Você quer fazer high school nos Estados Unidos, em um programa de intercâmbio. Mas pensar em morar numa família desconhecida te dá calafrios. E agora, o que fazer? A resposta é simples: boarding school.
Uma experiência enriquecedora, fazer boarding school significa estudar e morar no campus escolar, junto com os demais alunos americanos e internacionais.
Formar fortes vínculos de amizade, criar independência, vivenciar uma grande imersão na vida social da escola. É a alternativa ideal para quem prefere não optar pelo modelo homestay (em que uma família te hospeda).

Quais as vantagens da boarding school?

Para um jovem de 15 a 18 anos, até se tiver o inglês afiadíssimo, a adaptação à vida em outro país no intercâmbio não é fácil. Além disso, morar com uma nova família com valores e cultura totalmente diferentes da sua também pode dificultar esse período de transição – além de prolongá-lo.
Com a boarding school, a dificuldade de adaptação é menor, ao mesmo tempo que cria um senso de independência e responsabilidade maiores.


O campus de uma boarding school é quase uma mini cidade, com diversas opções de comida, lazer, esporte e cultura.
Os alunos residentes têm independência, mas também tem o suporte constante de uma equipe de profissionais que também vive nas instalações escolares. Isso, sem falar dos outros estudantes. Ou seja, pode contar com apoio sempre.


Você também tem um leque variado de matérias para escolher, muito além das comuns no currículo brasileiro. Por exemplo, se você é apaixonado por carros, que tal estudar oficina mecânica, aprendendo na prática como cuidar de motores? Além disso, as boarding schools costumam ter ótimos programas na área das artes e comunicações, além, claro, dos esportes, muito valorizados nos Estados Unidos.
Como você vive no campus, seu foco nas atividades escolhidas costuma ser maior na boarding school do que no sistema homestay.
Esse maior foco também pode render um desempenho maior, o que te ajuda a ingressar numa boa universidade americana.
Lembrando que no boarding school você monta seu currículo, mas é obrigatório sempre ter 1 matéria em cada uma dessas 5 áreas: línguas, matemática, ciências naturais, ciências sociais e educação física.

E a duração?

Aí é com você. Há Boarding Schools com programas de intercâmbio de curtíssima duração, a partir de 2 meses (mini-high school). Se preferir, você pode também fazer um semestre ou ano letivo, e até mesmo concluir a high school lá.

Curti. Conta mais…

Claro! A gente pode tirar todas as suas dúvidas e ajudar você a escolher o campus e programa que mais encaixa com seu perfil. Ah, fica tranquilo que a gente não cobra nenhum custo de agência! Então, vamos marcar um papo?
Fale conosco através do chat ou da nossa página de contato: https://www.nmedu.com.br/contato/

Conheça o community college.

Se você sonha em estudar nos EUA, provavelmente pensa em fazer ou uma High School (o ensino médio americano) ou University (a universidade como conhecemos). Mas há também outra ótima opção para você: o community college.
Uma alternativa mais econômica que a universidade, o community college oferece cursos de duração média de dois anos em várias áreas e muitas vezes é usada como porta de entrada para as universidades – como o próprio Barack Obama fez. Sim, o ex-presidente dos EUA cursou 2 anos de community college e então se transferiu para Harvard.

O que é o Community College?

Presente em diversas cidades americanas, o community college é uma instituição pública com custos muito mais em conta do que as college normais. Ele oferece certificações chamadas “associate degrees”, que têm duas funções: preparar para o mercado de trabalho em algumas áreas (um pouco como um certificado “técnico” no Brasil) ou para a universidade.
A vantagem é que a concorrência para entrar em um community college é muito menor do que em uma universidade. Além disso, se você depois seguir para um curso de graduação, um bom desempenho na community college pode valer uma bolsa de estudos na universidade.

Ah, você tem a possibilidade de, após concluir o curso, transferir seus créditos pra universidade. Ou seja, você “mata” várias matérias mais generalistas de primeiros anos de faculdade pagando menos e, depois, conclui sua graduação na universidade. Bom, né? E o diploma é 100% da universidade.
Por essas e outras que o community college é uma opção cada vez mais popular entre alunos internacionais querendo estudar nos EUA.

Quero estudar, mas não sei o que cursar.

O jovem brasileiro antes mesmo de terminar o ensino médio já sente a pressão de escolher o curso que vai definir sua carreira para sempre.
Mas a verdade é que muitas pessoas não fazem ideia do que querem fazer da vida. se você tem essa dúvida, o community college é pra você. Os cursos são mais generalistas, ou seja, você estuda matérias mais abrangentes enquanto pensa na profissão – e no respectivo curso – que deseja seguir.
Manja de inglês, mas não é ninja quatro dan na língua? O nível de proficiência de inglês (medido pelo exame TOEFL) exigido pelos community colleges é mais baixo, o que facilita bastante para entrar.

Gostei. Conta mais.

Faça como Obama, George Lucas, Tom Hanks, Morgan Freeman e outras pessoas de sucesso fizeram, estude numa Community College. Nossa equipe tem os melhores parceiros educacionais nos EUA e está pronta para te ajudar em todas as etapas do processo de inscrição. E o melhor, tudo isso sem nenhum custo de agência!
Vamos marcar um bate-papo? Fale com a gente através do chat ou da nossa página de contato e prepare-se para estudar nos EUA: https://www.nmedu.com.br/contato/

Prep School – sua porta para a universidade nos EUA.

Ok, você decidiu fazer universidade nos EUA. Agora, saiba que entrar em uma pode não ser tão simples quanto você pensa. A boa notícia é que tem um tipo de escola que te ajuda a ser aceito nessas universidades: a prep school.

Como entrar em uma universidade nos EUA?

Em primeiro lugar, para entrar em uma boa faculdade particular, não basta conseguir pagar os custos. Também é preciso passar por um processo seletivo que não se baseia em apenas uma prova (como os nossos vestibulares) pra peneirar alunos. Nos EUA contam também questões como: cartas de recomendação, atividades extracurriculares, histórico de desempenho escolar, excelência esportiva, liderança, etc.
Por isso, o brasileiro, ao tentar ingressar na universidade nos EUA, tem muito mais dificuldade de provar tantos desempenhos. Afinal, nosso sistema de avaliação é muito diferente. É aí que entra a prep school.

Como funciona a prep school?

Enquanto o cursinho pré-vestibular só prepara você para uma prova, as preparatory schools americanas têm cursos de média e longa duração com atividades sociais e matérias que podem melhorar sua avaliação perante os examinadores das universidades nos EUA.
Você pode ingressar a prep school após a conclusão da high school (ou, por aqui, o ensino médio).
Inclusive, se você tiver interesse no regime boarding school (onde você dorme no campus, com os outros alunos), algumas prep schools operam neste sistema. Aliás, há instituições particulares, públicas, mistas (charter) e algumas inclusive ligadas a paróquias.


Por ser voltada ao ingresso ao ensino superior, a prep school tem um currículo forte. Isso inclui créditos A-level: são matérias mais avançadas (daí o nome, advanced-level) que as da high school. Além de as A-level serem muito valorizadas pelas faculdades, muitas vezes elas equivalem a matérias que você teria em sua graduação. Neste caso, você pode matar esses créditos na universidade. Ou seja, a prep school ainda te ajuda a economizar!

Conta mais!

Claro! Vamos marcar um papo? Aí tiramos todas as suas dúvidas. Queremos realizar seu sonho de fazer universidade nos EUA. Por isso, temos parceria com programas conceituados de prep schools em várias regiões dos EUA. Fale conosco através do chat ou da nossa página de contato: https://www.nmedu.com.br/contato/

Dicas de como planejar seus estudos no exterior

dicas para estudar no exterior

Como se planejar para estudar no exterior?

Estudar no exterior não é um bicho de sete cabeças, mas requer um certo planejamento. Neste post e vídeo vamos tentar desmistificar alguns dos pré-requisitos exigidos pela a maioria das universidades. Iremos explicar como obtê-los ou como melhorá-los para que os estudantes tenham maiores chances de serem aceitos pelas instituições de ensino no exterior. Além disso, daremos algumas dicas de como planejar os seus estudos no exterior.

Quando devo começar o planejamento?

Muitos se perguntam e nos perguntam, com quanto tempo de antecedência devem dar início ao processo. Cada país, universidade e programa tem complexidades diferentes, mas no geral, podemos dizer que um ano antes da data de embarque costuma ser tempo suficiente para se planejar com calma, sem estresse.Veja abaixo mais dicas e informações.

Mas quais são os principais pré-requisitos exigidos para se inscrever em uma universidade no exterior?

  • Podemos elencar 5 mais comuns para você já se planejar:
  • 1. Histórico de notas da universidade – University transcript
  • 2. Teste de proficiência em inglês ou no idioma da país – testes mais aceitos são: TOEFL e IELTS
  • 3. Carta motivacional / Motivational Letter ou Personal Statement
  • 4. Portfolio, para cursos como Arquitetura, Design ou Moda
  • 5. Cartas de recomendação – Recommendation Letter

Algumas dicas:

  • 1. O histórico de notas deve ser traduzido juramentado para o inglês.
  • 2. Há várias maneiras de você se planejar para os testes de proficiência sem custo.
  • Para o TOEFL acesse: https://www.ets.org/toefl/ibt/prepare/toefl_go
  • Para o IELTS acesse: https://takeielts.britishcouncil.org/take-ielts/prepare/free-ielts-practice-tests
  • 3. Outras dicas: antes de começar a escrever a sua carta motivacional, faça uma lista cronológica dos seus estudos, experiências de estágio/trabalho e voluntariado. Tente relacionar a sua vivência pessoal com os princípios da universidade e o curso que você pretende estudar.
  • 4. Para o portfolio idem. Lembre-se! Você é um estudante e não um profissional, portanto, demonstrar o seu processo criativo é chave para que a instituição de ensino possa te conhecer melhor.
  • 5. Busque os professores que tenham mais afinidade com as matérias que você pretende cursar ou profissionais que atuem em áreas relevantes para o seu estudo.

Não sabe por onde começar?

Sim, parece muita coisa, né? Não se preocupe. Nossa equipe da NM Educação Internacional pode te ajudar não só com estes itens e outras dicas, mas como planejar a sua application como um todo. Conte com a gente!  LINK

Veja neste vídeos mais dicas de como se planejar para estudar no exterior: https://www.youtube.com/watch?v=QHh0oFoIji4